terça-feira, 7 de abril de 2015

Cosmos

"O meu pai morreu nos meus braços, vinte minutos antes do início da noite do Advento, de pé, como um carvalho fulminado ("foudroyé") que, golpeado pelo destino, tivesse-o aceite, mas recusasse-se a cair. Tomei-o nos meus braços, desenraizado da terra que acabava de abandonar, levado como Eneias levou seu pai ao deixar Troia. Então, sentei-o ao longo de um muro, depois, quando ficou claro que não voltaria, deitei-o ao comprido no chão, como para acamá-lo no nada a que ele parecia haver-se juntado sem dar-se conta."

Primeira frase do livro "Cosmos" de Michel Onfray

P.S.: Início de leitura.